quarta-feira, 12 de abril de 2017

BRASIL: UM PAÍS DE FAZ-DE-CONTA

O Brasil não é um país, é um terreno baldio!

O Brasil é uma coisa qualquer, recheada de corrupção. Não temos cúpula política, e sim cópula política. Certamente, a pior classe política do mundo está aqui.

Com as notícias de ontem, quando o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, pediu inquéritos contra setenta e seis políticos, pode-se chegar a conclusão que somos vítimas da maior e mais absurda rede de corrupção do mundo. Só no Senado, quase um terço dos senadores serão investigados a partir da famosa “lista do Fachin”.

Com a lista do Fachin evidencia-se a falta de pudor e a certeza de impunidade por parte da classe política brasileira. Os políticos brasileiros consideram-se donos do país e senhores de toda espécie de vantagens e estão indignados em serem desmascarados e tolhidos em suas práticas ilegais. Esta é a verdade!

E, visando manterem-se no poder, estão propondo e negociando a chamada lista fechada, por onde não votaríamos em candidatos, e sim no partido. Esta idéia visa beneficiar políticos que jamais votaríamos e abriria margem para que senadores, como Romero Jucá e Renan Calheiros fossem candidatos a deputados federais, e não mais senadores, só pelo intento de continuarem tendo foro privilegiado. Isto aconteceria porque o voto pela lista fechada não abrangeria os postulantes ao mandato de senador.

A corrupção combatida pela Lava Jato não envolve apenas o governo federal e o Congresso Nacional, mas também governos estaduais e até prefeituras. Dessa vez, governos como o de Alagoas, São Paulo e Minas Gerais também estão na mira dos inquéritos.

No Estado do Rio de Janeiro, um dos maiores exemplos de excelência em termos de corrupção, quase todos os principais membros dos governos Sérgio Cabral ou estão presos ou então estão sendo processados por corrupção. Nesta terça-feira, foi preso um dos secretários que foi mais próximo a Cabral, o médico e ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, que já sabia que poderia ser preso. Inclusive, em gravação de conversa entre o médico e César Romero, outro envolvido no esquema de corrupção e delator, Sérgio Côrtes comentou que o deputado federal e filho de Sérgio Cabral, Marco Antônio Cabral, alertou-o sobre delações premiadas que o envolveria.

O que é isto? Como Marco Antônio Cabral sabia de tais informações e por que ainda não foi indiciado por tentar dificultar investigações em andamento alertando Sérgio Côrtes? Certamente apenas por ter foro privilegiado, já que força política o atual deputado não tem mais nenhuma e certamente nem mais será reeleito. Já o ex-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e seu fiel escudeiro e ex-chefe da Casa Civil, o atual deputado federal Pedro Paulo (que teria recebido três milhões de reais em 2010 para sua campanha política), também estão na mira dos inquéritos por terem recebido propina da Odebrecht para favorecer obras para a Olimpíada de 2016. É a patifaria em todas as esferas.

O que estamos presenciando é a realidade política brasileira. Podridão para todo lado e em quase todos os partidos de expressão no país. O mais lamentável é que nenhum desses políticos parece compreender que a corrupção só gera riqueza para eles e miséria para o país.

O maior escândalo de corrupção do mundo é nosso! O que podemos fazer para mudar isso?

*Alessandro Lyra Braga é carioca, por engano. De formação é historiador e publicitário, radialista por acidente e jornalista por necessidade de informação. Vive vários dilemas religiosos, filosóficos e sociológicos. Ama o questionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?