quarta-feira, 21 de setembro de 2016

SOCIEDADE: VAMOS FALAR DE "ÈTICA?"

Ética, uma reflexão necessária para a vida e para as organizações
No momento em que o País assiste à cassação de políticos e novas delações por parte de empresários envolvidos em casos de corrupção, convido-os para uma reflexão, livre de emoções, sobre os limites da Ética e até onde se confundem com valores na vida corporativa.
Acabo de ouvir no rádio a entrevista de um executivo, responsável por recursos humanos em uma empresa e, ao ser perguntado sobre qual a principal característica que o profissional deve ter para ser contratado, sua resposta foi: “acredito que integridade e honestidade estão em primeiro lugar”. Com todo respeito, penso que esses atributos jamais deveriam ser classificados na lista de características de uma pessoa, pois trata-se de algo tão básico e que esperamos ver em um ser humano, que se torna precípuo antes de iniciarmos uma conversa com alguém. Para mim, um bom profissional precisa ter atitude, postura, otimismo, competência e ambição.   
Não quero com isso dizer que vivemos uma inversão de valores da classificação e grau de importância dos aspectos Éticos. Vemos diariamente a deterioração dos princípios morais por corruptos e corruptores, gerando indignação nas mídias sociais, disputas ideológicas passionais e acusações mútuas entre facções de adoradores de discursos, mas não pensem que isso não tenha intensidade semelhante na vida privada e no mundo corporativo. Felizmente, a consciência está aflorando pela liberdade de imprensa, pensamento, expressão e capacidade de julgamento e assim vejo um viés positivo na luta entre o bem e o mal e quem sabe, um futuro melhor para nossos netos. A Ética está vencendo, aos trancos e barrancos, mas triunfará.  
Como sempre faço quando toco nesse tema procuro relembrar conceitos daquilo que chamo de “atributos do bem”. Para que compreendam a diferença de “Ética” e “Moral”, uso uma metáfora: Moral é o que pode azedar o seu fígado, mas a Ética é imparcial em qualquer situação. Moral são regras aceitas por um grupo, ou seja, para os corruptos e corruptores suas ações estão dentro de seus valores morais e o fim justifica o meio.
Por isso vemos corrupção também no mundo corporativo privado, desde um grande contrato a um simples fornecimento de pequenos serviços, mas quando os atores são expostos, inevitavelmente são crucificados no código de conduta das organizações sérias. As empresas condenam o que é imoral para nossos padrões de julgamento. Quais são eles? Aqueles atributos precípuos a que me referi anteriormente.

 A Ética é uma reflexão sobre o que é moral e aí está o perigo, pois tudo dependerá da capacidade de julgamento, que está intimamente ligada com a educação. Se pensarmos nos pontos falhos do desenvolvimento das gerações futuras, provavelmente a educação e a formação do indivíduo no núcleo familiar aparecerão entre os primeiros na lista de problemas. Assim, uma deficiência na capacidade de julgar pode comprometer o entendimento das diferenças entre o que é moralmente aceito e eticamente correto.
Uma entre as crises que o ser humano enfrenta hoje é de valores e essa pode afetar a humanidade. Por isso a desesperada necessidade de bons exemplos na sociedade, que transmitam importantes valores humanos para assegurarmos um futuro melhor em todos os aspectos.
No mundo corporativo os valores da empresa determinam o comportamento da gestão e passam pela consciência de conselhos e conselheiros. No ambiente eticamente aceito, uma empresa sustentável deve propagar e se apoiar em valores como respeito às pessoas, responsabilidade social, transparência e é claro, integridade e honestidade, mas nem por isso devo perguntar a um candidato se ele é honesto ou íntegro, mas certamente perguntarei sobre suas ações sociais e responsáveis. Valores de uma corporação são pilares da sua cultura organizacional, devendo ser praticados e não apenas adorno em um quadro cujo título é Missão, Visão e Valores.
Em qualquer sociedade, quem segue as regras é uma pessoa moral e quem as desobedece, uma pessoa imoral. Assim, aqueles que possuem maior poder de influência, seja pela oratória, força ou capacidade financeira, estabelecem o que é moral e o que é imoral – outra preocupação que tenho com os políticos e com a Política.
Se os jovens tiverem capacidade para refletir sobre as regras – moral – assim se constituirá a Ética, pois não errarão na reflexão. Formação, Educação e Ética estão intimamente ligados e o único caminho para seguirmos precisa ser pavimentado em um esforço coletivo, de toda sociedade, deixando de lado ideologias extremas que separam nós e eles, para melhorar a Educação e o sistema de ensino. Faremos dessa forma um País mais ético, nem que nos custe uma geração ou mais.
Orlando Merluzzi

Orlando Merluzzi 

CEO at MA8 Management Consulting Group & Host at PensamentoCorporativo.Com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?