terça-feira, 20 de setembro de 2016

BANCO DE TALENTOS: UMA BOA OPÇÃO PARA MELHORIA NO SERVIÇO PÚBLICO

Como conciliar habilidades, atitudes e interesses pessoais do servidor público com às carências do serviço público?
Resultado de imagem para IMAGENS SERVIDOR PÚBLICO
Na visão geral da sociedade, a falta de profissionalismo no setor público coloca o cidadão brasileiro em desvantagem perante as enormes carências por serviços públicos de qualidade. Entretanto, nos boletins estatísticos de pessoal, de governos nacionais ou subnacionais, os perfis da força de trabalho são muito semelhantes, e podem ser divididos em: os talentosos que estão aguardando uma oportunidade de valorização, os apadrinhados cujos interesses políticos estão acima de qualquer interesse comum e os burocratas que se agarram aos complexos procedimentos da burocracia para alcançar posições “vitalícias” de conforto.
Nessa lógica, afirmar que os enormes desafios da gestão pública estão à caminho de serem solucionados, parece uma utopia. A consolidação de instituições governamentais mais transparentes e efetivas depende muito de ajustes nos seus recursos humanos.
Acreditamos que podemos oferecer uma boa ideia nesse sentido. Se você é gestor público, comprometido com a qualidade e deseja melhorar a experiência dos seus clientes/cidadãos, sem onerar os cofres públicos, crie um Banco de Talentos.
Além de melhorar a alocação de pessoal, remanejando servidores para realizarem trabalhos relacionados as suas melhores competências, o Banco de Talentos pode identificar, por meio do currículo profissional atualizado, servidores com determinadas especialidades que desejem realizar tarefas mais desafiadoras, contribuindo dessa forma para a melhoria do serviço prestado à população.
Por exemplo: um psicólogo quando é nomeado, após ser aprovado no concurso público, poderá ocupar uma vaga na saúde, na assistência social ou na área de gestão de pessoas, dentre outras. No entanto, caso esse psicólogo tenha uma relevante experiência profissional com adolescentes vítimas de violência, identificada por meio do Banco de Talentos, ele poderá ser encaminhado direto para à área de assistência social. Com todas as condições técnicas e vocacionais para desenvolver um ótimo trabalho.
Em contrapartida, prestando serviço na Secretaria de Assistência Social está um outro psicólogo que é especialista em gestão de pessoas, com diversos cursos e diplomas no tema do seu interesse, porém sem poder aplicar todo seu conhecimento adquirido no atual trabalho. Talento que poderia estar sendo melhor aproveitado, caso esse servidor estivesse cadastrado no Banco de Talentos.
Resultado de imagem para IMAGENS SERVIDOR PÚBLICO
A proposta da criação do Banco de Talentos é simples e eficaz: adaptação ou desenvolvimento de uma ferramenta para cadastro e busca de currículos profissionais direcionado ao funcionalismo público. É estimulado o cadastro voluntário dos servidores de seus próprios conhecimentos adquiridos, habilidades, atitudes e interesses pessoais.
A área de recursos humanos pode realizar levantamento das pessoas com interesse em desenvolver seus potenciais em programas e projetos prioritários da Administração, com foco no cidadão. Uma política interna de valorização do capital humano com impacto direto na qualidade dos serviços oferecidos à população.
É uma ferramenta para facilitar o acesso às informações referentes a todos servidores. Afinal, são milhares de servidores, e o ganho é muito grande.
O Brasil é visto como um país continental, onde poucas políticas públicas de gestão de pessoas estimulam a acumulação de capital físico e humano possibilitando crescer profissionalmente, desenvolver o seu potencial, e atrair talentos.
O primeiro passo é concretizar políticas de estado, com resultados de médio e longo prazo, coerentes com os nossos problemas reais e totalmente diferentes das atuais políticas de governo, muitas vezes descontínuas, acanhadas e inócuas.
Investir esforços para mudar o pensamento dominante de que serviço público é lugar de gente incompetente, acomodada e ineficiente. Não! Podemos capturar ganhos decorrentes de mudanças no ambiente de trabalho e sustentar o nosso desenvolvimento como instituições justas e prósperas.

Rosandra Elizabeth Padron Armada é Secretária Adjunta de Gestão do Município de Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?