terça-feira, 1 de março de 2016

ADVOCACIA: DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? DO SEU CLIENTE OU DA LEI?

Advogado Criminalista x 

Advogado Criminoso

Por favor, não se torne o seu cliente.
Publicado por Pedro Magalhães Ganem 
 Advogado Criminalista x Advogado Criminoso
Todos sabem da importância de um advogado criminalista. Mas e o advogado criminoso?
Tenho visto com certa frequência o envolvimento de advogados na prática delitiva.
Oferecimento de subornoextorsãodicas de como cometer o crime e não ser pego em flagrantereceptação de produtos roubados para pagar honorários; dentre várias outras condutas que, infelizmente, ainda rodeiam a prática criminal.
No último caso que vi, o advogado foi flagrado dentro do seu carro, tendo como carona o seu cliente, transportando no banco de trás várias roupas, mochilas, chinelos, dentre outros produtos que tinham acabado de ser roubados de uma loja de surf.
Segundo o advogado, ele estava apenas dando uma carona para o seu cliente e não sabia que aqueles produtos tinham origem ilícita, pois imaginava que se tratava das roupas dele.
Em outro caso, o advogado extorquia a família do réu, se aproveitando da sua ignorância, cobrando sempre mais dinheiro.
Tem, também, aquela situação em que o advogado foi flagrado em escuta telefônica (cujo alvo era o cliente), falando para o cliente não andar com grandes quantidades de droga, para raspar o número de série da arma de fogo e para jogar a arma fora no mar caso praticasse algum homicídio com ela.

Não sei quanto a vocês, mas eu não consigo aceitar essas práticas como sendo normais da profissão.
A questão toda é: por qual razão muitos ultrapassam a tênue linha entre a defesa do "bandido" e a bandidagem? Necessariamente, um advogado criminalista deve ser criminoso?
Quanto a primeira pergunta, obviamente, a personalidade da pessoa que o levará a delinquir. Ele não comete crime por ser advogadoEle apenas é um criminoso que se formou e obteve a inscrição na OAB.
Provavelmente, se não fosse advogado, arranjaria outros meios de se beneficiar ilegalmente.
São os novos profissionais da área criminal que têm o dever de mudar esse quadro de confusão entre o advogado criminal e o advogado criminoso.
Não podemos mais compactuar com toda essa falha ética/moral que assola a advocacia criminal, contaminando todos os profissionais, mesmo aqueles que cumprem com zelo o seu papel.
Chega da sociedade associar a advocacia criminal com a advocacia criminosa.
Por isso, eu faço um apelo com esse texto: evite se tornar o seu cliente.
Tome atitudes pautadas na ética, na moral, voltadas para o bem coletivo.
O suborno que você paga hoje para favorecer o seu cliente pode ser o mesmo que será pago em seu desfavor.
Os produtos que hoje você recepta para quitar seus "honorários", amanhã poderão ser subtraídos de você para dar como pagamento a outra pessoa.
Afinal, tudo que vai, com toda certeza do mundo, volta.
Vamos elevar o nível da advocacia criminal! Se queremos um Brasil melhor, precisamos parar de agir de forma a torná-lo um lugar ruim.
em busca da mudança de paradigmas

Capixaba, espírita, formado em Direito, atuante e sempre um estudante das áreas jurídicas. BLOG: pedromaganem.com; FACEBOOK: facebook.com/pedromaganem CURRICULO LATTES: http://lattes.cnpq.br/5664464113483902

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?