sexta-feira, 19 de junho de 2015

SMARTPHONES: PORQUE A BATERIA ACABA TÃO RÁPIDO?

Por que a bateria dos smartphones acaba tão rápido? Entenda
Da redação
carregador-motorola-cel (Foto: Divulgação)
Conexão, brilho da tela e o uso contínuo são os maiores vilões do consumo de bateria 
(Foto: Divulgação)

Bom desempenho da bateria é um fator importante na hora de escolher um smartphone. 

Mas, quanto mais funcionalidades o aparelho tem, mais nos afastamos da ideia de boa performance. Alguns fatores como conexão, brilho da tela e, claro, o uso contínuo, fazem a carga ir embora mais rápido, mas podem ser otimizadas e fazer o smart funcionar de um jeito melhor. Confira quem são os principais vilões da bateria e o que fazer para salvar o seu smartphone.

Conexões

Estar conectado à internet não gasta apenas o pacote de dados 3G ou 4G, demanda também um esforço maior da bateria. A culpa é dos aplicativos que mantêm a atividade em background, como o Facebook, o e-mail e o WhatsApp

Esses apps continuam funcionando mesmo quando o seu smartphone está na bolsa ou enquanto você dorme e é isso que faz com que você receba as notificações. Esse recurso exige que a bateria continue trabalhando, enquanto deveria descansar.

moto-g-conexao (Foto: Isadora Díaz/TechTudo)
 Desabilite as conexões do seu smartphone para aumentar a vida da bateria (Foto: Isadora Díaz/TechTudo)

Além da conexão de rede de dados, estar em um lugar com pouco sinal da sua operadora faz com que o aparelho precise “gritar” para se comunicar. Segundo o diretor de desenvolvimento de produtos da Qualcomm Roberto Medeiros, quanto menor o sinal, mais bateria se gasta. Porém, ele explica: “se você estiver em um lugar com o sinal cheio, mas as redes estiverem congestionadas, o aparelho continuará tentando se comunicar melhor, e com isso forçará mais a bateria”.

Solução: Uma forma de ajudar a poupar bateria é desligar as conexões Wi-Fi, 3G/4GGPS, Localização e Bluetoothenquanto não estiver utilizando. Quando estiver completamente sem sinal, aproveite e desligue o aparelho, ou ative o modo avião.

Tela

Imagine um exército que está dormindo. Ao tocar a sirene, todos os soldados devem correr e entrar em formação. É isso que acontece cada vez que o usuário ativa a tela de um smartphone. A tela é a maior vilã das baterias e quanto maior ela é, mais ela gasta, pois precisa de mais “soldados”.

 galaxy-s6-edge-problema-foto (Foto: Galaxy S6 Edge (Foto: Anna Kellen/ TechTudo))
Telas grandes, com muito brilho e notificações gastam mais bateria (Foto: Anna Kellen/ TechTudo)

Solução: Controlar o brilho da tela e deixar o aparelho bloqueado é uma saída para ajudar a não gastar tanta carga. Alguns celulares possuem uma tecnologia que adequa o brilho da tela de acordo com a luminosidade do ambiente. Para quem não possui tais smarts, é possível encontrar softwares que cumprem o papel, como o Screen Filter.

Outra saída é utilizar temas mais escuros, papeis de paredes estáticos e desabilitar as notificações pull e push dos aplicativos.

Consumo do usuário

Não, não é brincadeira. O usuário (sim, você!) é um dos principais vilões do consumo da bateria do smartphone. Os celulares têm cada vez mais funções e, por isso, são utilizados o tempo todo. Uma pesquisa feita pela agência britânica Tecmark, em 2014, identificou que os usuários checam o celular, em média 2.000 vezes por semana. Quase 300 vezes por dia. Quem nunca desbloqueou a tela pra ver se tinha alguma notificação do WhatsApp?

Antigamente, as baterias eram de Níquel e Cádimo, piores que as atuais, mas os aparelhos serviam apenas para ligar/receber chamadas, enviar sms e, no máximo, jogar Snake, o famoso "jogo da cobrinha". A tecnologia dos aparelhos avançou muito mais que a das baterias e, atualmente, temos muitas funções nos celulares, com baterias que não acompanharam sua evolução.

 Jogo da cobrinha app (Foto: Divulgação)
Além de telas menores, os celulares antigos tinham menos funções, por isso, a bateria durava mais (Foto: Divulgação)

Jogos e reprodução de vídeos são fatores que influenciam muito no gasto. Alguns vídeos, no entanto, já são H.265, um formato compactado que não ocupa tanto espaço e nem depende tanto do desempenho da bateria. 

Solução: De acordo com Roberto Medeiros, a saída é procurar celulares com bateria de íon de lítio, que possuem maior quantidade de mAH, e que suporte à tecnologia Quick Charge, pois possibilita recarregar completamente o aparelho em menos tempo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?