quinta-feira, 25 de junho de 2015

JARDINAGEM: PLANTAS QUE PODEM CAUSAR INTOXICAÇÕES EM CRIANÇAS E ANIMAIS


Algumas delas podem ser muito perigosas, pois causam intoxicações graves e asfixia
plantas-toxicas
A Coroa-de-Cristo é uma planta toxica e deve ser evitada em lares com crianças e animais
(Foto: reprodução – Flickr – Wonderlane)

Embora muitas espécies da flora sejam inofensivas, algumas delas devem ser evitadas em ambientes que tenham crianças ou animais de estimação. Isso porque existem diversas plantas tóxicas, que podem causar alergias ou inflamações.
Segundo a arquiteta Adriana Victorelli, entre as plantas que devem ser evitadas estão: comigo-ninguém-pode, coroa-de-Cristo, alamanda – que é uma espécie de arbusto muito usada como trepadeira -, mamona, espirradeira e guiné.  A Coroa-de-Cristo, por exemplo, além de ter espinhos, tem uma seiva leitosa que pode causar lesões em peles e mucosas.
Já a comigo-ninguém-pode é responsável por intoxicações graves cujas principais vítimas são crianças pequenas e animais. Em toda a sua estrutura, sejam flores, folhas, caule e látex, a comigo-ninguém-pode é altamente impregnada por cristais de Oxalato de Cálcio e outras substâncias tóxicas.

Esse composto, quando entra em contato com o organismo por meio da mastigação, dispara uma reação do tipo inflamatória, com formação de edema imediato na língua e na glote, dificultando muito a respiração, podendo vir a causar até a morte por asfixia. Em contato com os olhos, o oxalato pode causar dor, irritação e lesão na córnea. E ainda o seu látex é corrosivo ao toque da pele e mucosas.
A alamanda é uma trepadeira arbustiva. É uma planta tóxica muito utilizada na medicina popular, principalmente como purgante. Porém, este uso, bem como ingestões acidentais da planta, acarretam distúrbios gastrintestinais intensos caracterizados por náuseas, vômitos, cólicas abdominais e diarreia.
A mamona também pode ser muito perigosa. O óleo é de difícil digestão e provoca diarreia, mas o maior risco na ingestão da semente está na toxina ricina. Mais de três sementes podem matar uma criança; mais de oito, um adulto.
Já uma única folha de espirradeira pode causar envenenamento. Os sintomas podem ser dores abdominais, pulsação acelerada, diarreia, vertigem, sonolência, dispneia, irritação da boca, náusea, vômitos e podem ocorrer várias horas após a ingestão. Sua ingestão pode levar à coma e morte.
A guiné é tóxica e seu consumo implica em alucinações, apatia, alteração do sistema nervoso e insônia. Além disso, ela tem propriedades que a fazem diurética, causando extremo desgaste dos rins e provocando uma desidratação corporal. Essa planta é especialmente contraindicada para mulheres, pois tem efeito abortivo e pode causar a infertilidade em casos extremos.
Plantas tóxicas e reações em animais
 plantas tóxicas nocivas
Evite que os bichos de estimação comam plantas, pois elas podem ser tóxicas a eles (Fotos: Thinkstock)

Algumas plantas podem ainda ser as causas mais comuns de alergias. A dermatite alérgica é uma doença de pele muito comum tanto em cães que moram em casas quanto em apartamentos. A alergia é uma reação do sistema imunológico do cachorro contra alguma substância. Os sintomas mais comuns são coceira e perda de pelos intensa, lambedura excessiva no local da alergia, secreção nos olhos, pele com machucados, crostas e inflamações.

Das várias causas que podem levar o animal a consumir uma planta tóxica, a fome é a principal delas. Outros fatores que devem ser considerados são o vício, situação em que os animais podem desenvolver o hábito especial de ingerir a planta; a perversão do apetite, quando o animal torna-se pouco seletivo ao alimento (por exemplo, quando ocorre a deficiência de fósforo); e a adaptação, situação em que animais trazidos de regiões distantes não passam por um período prévio de adaptação em novas regiões. 
Dentre as plantas que mais afetam pequenos animais destacam-se a espirradeira e comigo-ninguém-pode.
Em caso de intoxicação, é de extrema importância retirar o animal do local em que a planta está localizada e levá-lo à clínica veterinária para fazer os cuidados necessários. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?