sexta-feira, 24 de abril de 2015

TURISMO: ALTER DO CHÃO, NO PARÁ, SENTE EFEITOS DA CONTAMINAÇÃO

Em Alter do Chão, crise no turismo afeta economia da vila balneária

Movimentação de visitantes diminuiu no distrito de Santarém.

Casos de hepatite A e cheia do rio Tapajós contribuíram para isso.
Do G1 Santarém

 Alter do Chão cheia do rio tapajós (Foto: Roberta Freitas/ G1)
Movimentação de turistas teve queda na vila(Foto: Roberta Freitas/ G1)

O distrito de Alter do Chão, distante aproximadamente 40 quilômetros, de Santarém, oeste do Pará, está sofrendo com a crise no turismo. A economia do setor começou a ser afetada com a repercussão dos casos de hepatite A e o resultado de uma pesquisa que apontou a existência de coliformes fecais  em três pontos do rio Tapajós, na vila balneária.

Com a situação, a rotina de trabalho de guias-turísticos da Associação de Turismo Fluvial de Santarém, que realiza passeios em praias do rio Tapajós, mudou. O presidente da entidade, André Ferreira, informou que o número de pessoas procurando o serviço caiu em 30%. Para tentar evitar prejuízos, os trabalhadores diminuíram o preço dos passeios. “Mesmo com a alta da gasolina, temos que diminuir o valor para poder chamar a atenção de turistas. Um passeio para a praia do Pindobal, por exemplo, que era R$ 200, hoje a gente está levando por R$ 100 ou R$ 80”.

Donos de restaurantes também sofreram com os prejuízos com a queda na movimentação de visitantes ainda no período do Carnaval. “Não deu quase ninguém na vila, esperávamos mais turistas”, destacou a proprietária de um restaurante de Alter do Chão, Marilza Maduro.

Vendas vêm caindo em torno de 20%
comerciante Doriney Carvalho

A elevação do nível das águas do rio Tapajós é outro desafio que estabelecimentos comerciais e vendedores têm que conviver neste período do ano. O rio já cobriu barracas da Ilha do Amor e deve continuar subindo pelo menos até o mês de junho. O dono de um supermercado da vila, Doriney Lobato, disse que a baixa temporada com a cheia do rio prejudicou as vendas. “De fevereiro para março, as vendas vêm caindo em torno de 20%. A nossa expectativa é que a partir de julho as vendas voltem a crescer”.

O setor hoteleiro é o único que ainda continua estável. A maioria das reservas nos hotéis continua marcada. “Essa época de cheia caiu um pouco a hospedagem, mas estamos com muitas reservas para o feriado de Sete de Setembro, meu pacote de Sairé está quase todo lotado. Essa semana  estou apenas com dois apartamentos livres”, destacou o empresário Miguel Lobato.

O dono de um hotel da vila, Pedro Paulo Buchale, esclareceu que moradores estão acostumados a conviver com a cheia e que a divulgação dos casos de hepatite A registrados em Alter do Chão não interferiram tanto nas reservas. “Essa situação não nos [donos de hotéis] afetou tanto. Nesse período de baixa estação, é comum a pouca movimentação de pessoas. No meu hotel, tenho pouquíssimas vagas para Semana da Pátria, Sairé e no Réveillon tenho a maior parte de vagas do hotel vendida”.

 Turistas em Alter do Chão (Foto: Reprodução/TV Tapajós)
Turistas não abrem mão de passeio em Alter(Foto: Reprodução/TV Tapajós)

Apesar das praias estarem submersas, ainda é possível encontrar turistas encantados pelo lugar. O professor Fabrício Gali veio de Rondônia com a esposa procurar um terreno na região para morar. “Visitamos apenas uma vez Alter e ficamos admirados com o lugar. A gente está procurando terreno para morar na região, perto de Alter porque isso aqui é maravilhoso”, enfatizou.

Comissão de Alter

A  Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces) se reuniu na terça-feira (21) com lideranças comunitárias e a classe comercial e empresarial de Alter do Chão com o objetivo de debater ações para alavancar o turismo no distrito. No encontro, ficou definido que em maio será realizada uma ação de saúde na vila. Para incentivar ainda o aumento de visitantes, a entidade apresentou também um projeto de revitalização das 18 barracas da ilha. De acordo com a proposta, as barracas devem ser padronizadas com dois banheiros químicos, varanda e assoalhos.

 Barracas Alter do Chão Santarém (Foto: Aces/divulgação)
Projeto deve padronizar 18 barracas da ilha de Alter(Foto: Aces/divulgação)

Uma comissão formada por diretores da Aces e moradores da vila devem se reunir ainda este mês para buscar apoio de outras instituições e governo municipal para que iniciativas sejam feitas. “A comunidade precisa de ajuda para reconstruir a imagem de Alter do Chão. Neste sentido, vamos trabalhar fortemente nos próximos meses”, destacou o diretor da Aces e líder da comissão, Bruno Moura.

Ações

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Comunitário de Alter do Chão, Carlos Santos, reforçou a importância de investimentos em setores comerciais na comunidade. “As autoridades deixam mesmo Alter do Chão a mercê, porque nós (Alter) como representante do turismo no Pará, precisamos de um cuidado todo especial. As ações que virem do poder público e empresariado são bem vindas, porque nesse período de baixa temporada a gente fica vulnerável, sem ganhos e sustento das famílias”.

Em nota, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Turismo (Semdetur) informou que o projeto Turismo Legal deve realizar um conjunto de ações que visam à capacitação, qualificação e formalização dos empreendedores turísticos da vila. A iniciativa contempla minicursos, palestras e oficinas que devem contribuir na melhoria do turismo em Alter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?