quarta-feira, 30 de abril de 2014

VOCÊ É UM RECALCADO?

Beijinho no ombro: identifique dez atitudes das pessoas recalcadas

Recalque é muito mais do que uma palavra da moda para alfinetar rivais. Trata-se de um termo que reúne conceitos amplos para a psicologia e vai além da inveja. De acordo com especialistas, o recalcado é alguém que precisou, em algum momento da vida, abafar certos desejos e emoções. E, a partir de então, tenta eliminar do inconsciente vontades que, muitas vezes, são consideradas inaceitáveis para ele. Assim, quando a pessoa recalcada se depara com alguém liberando um desejo que ela considera difícil de realizar, a maneira de lidar com isso é censurando, criticando e reprimindo o outro. São homens e mulheres frustrados, com dificuldade de entrar em contato com os próprios sentimentos, e que encontram no próximo uma maneira de extravasar isso. Veja, a seguir, as características mais extremas dos recalcados e descubra se tem algum perto de você. Por Heloísa Noronha, do UOL, em São Paulo Jeff/UOL

PESSOAS QUE ACHAM QUE TODO MUNDO MORRE DE INVEJA DELAS: apesar de acharem que todo mundo está de olho em seu sucesso, na verdade, são as pessoas recalcadas que se incomodam demais com os outros. Segundo o psicólogo Elidio Almeida, a maioria das pessoas acha que a inveja é um sentimento ruim. Então, é mais fácil ver alguém projetar a inveja que sente nos outros, já que se trata de um sentimento difícil de admitir até para si mesmo, do que aceitar o que sente. "E como o recalcado quer que o percebam, uma maneira de chamar a atenção é dizer como os demais o consideram especial, digno de destaque, já que é alvo de inveja", diz o psicólogo clínico João Alexandre Borba Jeff/UOL


SENTIR DIFICULDADE DE ACEITAR CARACTERÍSTICAS ALHEIAS QUE A PESSOA GOSTARIA DE TER: essa é a base do recalque: o desejo do indivíduo é suprido por outra pessoa, o que incomoda muito. Para a psicóloga Lourdes de Paula Gomes, diretora da FACIS (Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo), a dificuldade em admitir o brilho, a beleza, a inteligência ou quaisquer outras qualidades do outro está ligada à baixa autoestima e a sentimentos de menos valia. "E também a um alto grau de competitividade. O resultado vem na forma de atitudes mesquinhas e controladoras, já que o recalcado não consegue ser generoso consigo nem com os outros", diz Lourdes Jeff/UOL

ARRUMAR DEFEITOS NOS OUTROS OU ENALTECER OS QUE REALMENTE EXISTEM: depreciar amigos e colegas, enfatizando seus defeitos e dificuldades, é a forma que pessoas recalcadas, que acreditam muito pouco em si mesmas, encontram para se sentir valorizadas. É como se dissessem, nas entrelinhas: "Olha como o fulano é limitado, enquanto eu sou brilhante". Há uma grande necessidade de ser valorizado através da depreciação do outro. "O que os recalcados, lamentavelmente, não consideram é que todo o esforço e energia psíquica que investem para diminuir os outros poderia ser usada para adquirir repertório para também conseguir ter as qualidades que gostaria", diz o psicólogo Elidio Almeida Jeff/UOL

IMPLICAR OU SER SEMPRE "DO CONTRA": exemplo típico são os encrenqueiros das redes sociais, que adoram contrariar só para provocar uma briga. Ser o antagonista em todas as situações sugere uma dificuldade do indivíduo de lidar com as pessoas com as quais se relaciona. "Quem contraria sem motivo, na maioria das vezes, só o faz para conseguir atenção para si mesmo. É uma pessoa que prefere aparecer negativamente a não ser lembrada", diz a psicóloga Lourdes de Paula Gomes, diretora da FACIS (Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo). Trata-se de uma forma dolorosa de se promover, como se o recalcado não pudesse lançar mão de suas habilidades para se relacionar sem ter que desempenhar esse papel polêmico. Os recalcados são muito autocríticos e, frequentemente, têm uma imagem ruim de si mesmos Jeff/UOL

QUERER SEMPRE PARECER MELHOR DO QUE O INTERLOCUTOR: "Quem gosta de contar vantagem, geralmente, são aquelas pessoas com baixa autoestima, que precisam parecer mais interessantes", declara a psicóloga Andrea Lorena. São indivíduos frustrados que necessitam da aprovação do outro para se sentirem satisfeitos consigo mesmos. "Muitas vezes, a pessoa recalcada, que quer parecer melhor do que os outros, está lançando mão de uma defesa psíquica para encobrir suas inseguranças", afirma a psicóloga Cristiane Moraes Pertusi, doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP (Universidade de São Paulo) Jeff/UOL

TER DIFICULDADE DE RECONHECER O SUCESSO ALHEIO: "Muita gente sente que o sucesso alheio significa que estamos fracassando. Na verdade, quase nunca há relação entre esses fatos. Várias pessoas certamente ganhariam muito mais se tomassem o sucesso alheio como referência para sua escalada", fala o psicólogo Elidio Almeida. O recalque caminha de mãos dadas com a inveja. Por não se conformar com o fato de que outra pessoa tem aquilo que ele deseja, o recalcado critica e diminui as conquistas alheias, quando poderia se dedicar a buscar estratégias para conseguir aquilo também Jeff/UOL

TENTAR CAMUFLAR A AUTOESTIMA BAIXA: na opinião do psicólogo Elidio Almeida, hoje em dia, as pessoas são cobradas de tamanha forma que muitas se esforçam para exibir um padrão de sucesso, autoestima e automotivação, muitas vezes inalcançáveis. "Infelizmente, não são poucos os que realmente sofrem ou não estão em condições e contextos mais adequados para viver plenamente esses sentimentos. Aí terminam se obrigando a camuflar a realidade das suas emoções, o que só traz mais sofrimento", fala o especialista. Segundo a psicóloga Cristiane Moraes Pertusi, doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP (Universidade de São Paulo), camuflar autoestima baixa pode ocorrer de diferentes formas: diminuindo a outra pessoa, tecendo criticas em excesso, realizando atividade pelos outros e não permitindo que o outro se desenvolva. "É o caso de chefes inseguros que podam os funcionários mais eficazes", diz Jeff/UOL

USAR BENS MATERIAIS E SÍMBOLOS DE STATUS PARA PARECER MELHOR DO QUE OS OUTROS: sintoma clássico de outra palavra da moda: ostentação. "É importante ter em mente que bens materiais e símbolos de status mostram muito mais a condição de como você está no mundo do que como você é. O estar reflete a aparência, a superfície, enquanto o ser tem a ver com a essência, a profundidade de suas ações e de seus valores", afirma a psicóloga Lourdes de Paula Gomes, diretora da FACIS (Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo). Um exemplo dado pelo psicólogo clínico João Alexandre Borba? é o do sujeito que possui um carrão e debocha de quem tem modelos mais simples. "É um clássico caso de recalque, pois, muitas vezes, o que ostenta o carrão gostaria de não se preocupar tanto com a opinião dos outros", diz Jeff/UOL

TER SEMPRE UM JULGAMENTO NA PONTA DA LÍNGUA: normalmente, recalcados têm frases prontas para quase tudo, pois não admitem ser contrariados. Quem vive julgando os demais, provavelmente, está lutando desesperadamente para não ser alvo de julgamento. "Essas pessoas sabem muito bem, lá no fundo, que se alguma coisa atrai tanto sua atenção a ponto de julgá-la inconsequentemente, isso significa que muito do que está em julgamento também habita seu interior. Condenamos o outro nos condenando, também", afirma a psicóloga Lourdes de Paula Gomes, diretora da FACIS (Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo). "Talvez seja necessário aprender que a melhor defesa não é o ataque, e que todos nós temos telhados de vidro", diz psicólogo Elidio Almeida Jeff/UOL

SOFRER COM QUESTÕES MAL RESOLVIDAS: de acordo com o psicólogo clínico João Alexandre Borba, o recalque é a repressão de uma emoção. "É empurrar para dentro um sentimento que estava se preparando para sair. Uma hora isso trará problemas", diz. Às vezes, até na forma de doenças psicossomáticas. Para a psicóloga Cristiane Moraes Pertusi, experiências negativas na infância, na adolescência e na idade adulta em que a pessoa se sentiu excluída, humilhada, ameaçada ou insegura podem trazer conflitos internos que perdurem para diferentes fases da vida, além de consequências emocionais diversas. Quando uma pessoa não lida bem com suas emoções, ela tende a se sentir culpada por isso e ir em busca de algo para compensar isso: jogar seu recalque sobre alguém, por exemplo Jeff/UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?