segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

CEROL: BRINCADEIRA DE CRIANÇA OU CASO DE POLÍCIA?

CEROL: BRINCADEIRA DE CRIANÇA OU CASO DE POLÍCIA?

 Do blog
Jorge, por milagre, não teve sua cabeça decepada por uma linha com cerol
 Na última sexta-feira, em Altamira, foi registrado mais um caso gravíssimo, relacionado com a brincadeira de empinar pipa que, geralmente acontecem no período de férias nas escolas.


Um cidadão que trafegava em uma moto, foi atingido por uma linha com cerol, na região do pescoço e, milagrosamente, não teve sua cabeça decepada. Caso o condutor estivesse em maior velocidade, fatalmente teria morrido.

O que parece, a princípio, não preocupar as autoridades e mesmo a sociedade, esconde, na verdade, uma omissão grave por parte de todos: autoridades, pais e filhos.

Cerol: brincadeira de criança ou caso de polícia?
Soltar pipas ou papagaios, como queiram, dentro de um perímetro urbano ou locais de grande movimento, é inadmissível por vários aspectos, porém torna-se mais grave, quando se torna uma verdadeira tentativa de assassinato, quando estas linhas, em sua maioria, estão incrustadas de vidros e cola ( cerol ), se tornando verdadeiras navalhas. A grosso modo, seria o mesmo que um assassino esperar sua vítima em uma esquina, portando uma faca afiada.

Acredito que as autoridades policiais e judiciárias poderiam estudar medidas para proibição de tais “brincadeiras” nos perímetros urbanos ou locais de grande movimento, limitando-as aos campos de futebol ou áreas abertas, onde não haja trânsito maior de pessoas. Fica a dica!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?