terça-feira, 22 de outubro de 2013

DORES MUSCULARES: O QUE É VERDADE E O QUE É MITO

DORES MUSCULARES: 

Mitos e Verdades



Há doenças que provocam dores musculares. VERDADE: males reumáticos, como fibromialgia e espondilite anquilosante, podem causar dores sem qualquer tipo de traumatismo associado. "Elas ocorrem por um processo de contratura do músculo que limita a chegada de sangue ao local, causando dor. Outras vezes, a produção de substâncias inflamatórias agride quimicamente a célula muscular", explica Jomar Souza, especialista em Medicina do Exercício e do Esporte. A fibromialgia é uma síndrome não inflamatória caracterizada, entre outros sintomas, por dores musculares difusas; já a espondilite anquilosante é um distúrbio inflamatório que atinge a coluna e as grandes articulações, como as dos quadris e dos ombros.


Dor muscular pode detonar outros problemas, como inchaço, câimbras e fraqueza muscular. VERDADE: se ela é provocada por doenças neurológicas que atingem a placa mioneural, quer dizer, a junção do nervo com o músculo, é possível que provoque, sim, estes sintomas em conjunto. O ortopedista Moisés Cohen cita os atletas, especialmente, como passíveis de sofrerem com o problema. "A função muscular vai além do movimento: o músculo é responsável pelo ortostatismo (trabalho gradativo do corpo que leva uma pessoa a ficar na posição vertical, ou seja, em pé) e estabilização articular. Uma lesão no ventre muscular (porção carnosa e contrátil do músculo, constituída por fibras que se contraem) afeta a habilidade da contração, seja pela insuficiência mecânica ou pela dor. Tudo está interligado, e qualquer tipo de lesão traz consequências desastrosas no desempenho do atleta por evoluir de forma lenta e causar uma incapacidade física grave"


Atletas e pessoas que malham muito estão mais sujeitos a dores musculares. VERDADE: este grupo é mais suscetível por duas razões: eles exageram, e sentem o problema pela prática vigorosa; ou mudam de intensidade e carga, gerando dores e até lesões. "Outra grande 'vítima' é o atleta de fim de semana, que não faz nada de segunda a sexta-feira e quer, no sábado e no domingo, compensar a semana toda de ócio", salienta Jomar Souza, membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e Esporte. O fisioterapeuta Maurício Garcia completa dizendo que estas pessoas apresentam todos os riscos maximizados -- não só musculares como cardiovasculares, por exemplo. Já em relação ao esporte mais propenso a lesões, ele diz que é o futebol, com cerca de 60%. "As lesões por trauma direto, como contusões e lacerações, são mais comuns nas modalidades de contato, como o futebol. Já as lesões indiretas ocorrem principalmente em esportes individuais e de grande demanda de potência, caso do tênis".


Não é possível diferenciar a dor muscular simples de uma proveniente de lesão. MITO: no primeiro caso, ela costuma ser simétrica, atingindo ambos os lados do corpo - coxas e panturrilhas, por exemplo. "Já quando a dor é unilateral ou mais intensa em um dos lados, pode haver uma lesão associada. Deve-se, então, procurar o médico para diagnóstico", recomenda Jomar Souza, médico do esporte.


A lesão muscular é sempre do mesmo tipo. MITO: há diferentes graus, de acordo com a gravidade. Nas lesões de primeiro e segundo, a dor geralmente se localiza sobre o local machucado. "Ela é provocada por contração muscular ativa ou alongamento muscular passivo. Já nas de terceiro grau, o músculo é incapaz de produzir qualquer tipo de força. O indivíduo, então, tenta compensar tal deficiência usando outro grupo muscular. A dor, nestes casos, é variável: depende da profundidade do músculo lesado em relação à pele adjacente. Agora, em relação aos sinais: nas lesões de primeiro grau, nem sempre dá para perceber apenas examinando o paciente; já nas de segundo, é possível que ocorra edema, equimose e/ou hematoma; no terceiro grau, o prejuízo é sempre evidente e visível", fala o diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, Moisés Cohen 


Dores musculares podem estar associadas à postura incorreta. INCONCLUSIVO: desvios posturais de coluna desandam dores nos músculos paravertebrais, já que os mesmos ficam em uma posição alongada ou contraturada, considera o médico do esporte Jomar Souza. "Não podemos afirmar que a postura incorreta desencadeia a dor muscular, mas pensamos que os estabilizadores estáticos, como a congruência articular, os ligamentos e a cápsula articular, são sobrecarregados nessas situações. Nesse sentido, os músculos, que são estabilizadores dinâmicos, são solicitados com mais intensidade e, a médio prazo, podem levar à dor", acredita Moisés Cohen, professor da Unifesp 


O estresse e a tensão diários provocam dores musculares. VERDADE: isso acontece principalmente no músculo trapézio, que liga os ombros à região cervical. "Nos momentos de estresse, os nervos liberam substâncias químicas na sua junção com os músculos, levando a um processo de contratura com consequente dor", diz o médico do esporte Jomar Souza. "As condições psicossociais trazem muitas consequências físicas ao indivíduo - e os músculos não estão imunes. As condições regenerativas de uma sobrecarga são excedidas facilmente e, assim, os músculos ficam sujeitos à fadiga precoce", completa o fisioterapeuta Maurício Garcia


Dá para tratar a dor muscular em casa, com pomadas e relaxantes locais. MITO: mesmo para minimizar dores aparentemente simples e corriqueiras, não se deve usar qualquer medicamento sem orientação médica. "Pomadas, anti-inflamatórios, relaxantes musculares - tudo isso precisa ser prescrito pelo especialista. Até a aplicação de bolsas de gelo ou de água quente, que ajudam, requer acompanhamento. Em um caso de lesão muscular, por exemplo, a água quente está contraindicada nas primeiras 48 horas após os sintomas, pois pode agravar o quadro", esclarece o médico do esporte, Jomar Souza. Para o ortopedista Moisés Cohen, o correto é, a partir do momento em que há dor ou suspeita de lesão, procurar imediatamente ajuda especializada para avaliar a extensão e intensidade do problema. "Remédios sem indicação, nem pensar. E nenhuma lesão muscular deve ser negligenciada" 


Há vários tratamentos possíveis para as dores musculares. VERDADE: eles vão do simples alongamento, passando pela fisioterapia, até o emprego de medicamentos. "É preciso avaliar caso a caso", diz Jomar Souza. O uso de analgésicos e anti-inflamatórios entra no arsenal terapêutico para alívio da dor nos quadros de lesão, completa Moisés Cohen, professor e chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Unifesp. "Para o relaxamento muscular, o especialista lançará mão de drogas com efeitos miorrelaxantes. Outra opção de tratamento inicial são os anti-inflamatórios tópicos, que oferecem efeito analgésico local sem apresentar danos colaterais dos similares orais, sendo uma boa opção para minimizar a dor em idosos" 


As massagens são recomendadas. INCONCLUSIVO: para Jomar Souza, médico do esporte, elas só devem ser cogitadas se for afastada a possibilidade de lesão muscular. "E, claro, se forem realizadas por profissional habilitado, de preferência com formação em fisioterapia." Maurício Garcia observa que tais manobras atuam nos músculos para relaxá-los ou estimulá-los, além de beneficiarem sua nutrição, já que detonam maior aporte sanguíneo. "No sistema linfático, a massagem ajuda no funcionamento dessa estrutura como um todo, esvaziando os dutos coletores de linfa (substratos indesejáveis no organismo) e favorecendo a circulação e a pele, diminuindo possíveis edemas. No sistema nervoso, age principalmente na região parassimpática, relaxando e regulando a liberação de mediadores químicos." 


Se a dor vier acompanhada de inchaço, vale aplicar gelo. VERDADE: mas há uma ressalva: ele só deve ser usado por 20 a 30 minutos, sempre envolto em um pano úmido, para que não encoste na pele. "O gelo reduz a dor e o processo inflamatório. Entretanto, pessoas com distúrbios vasculares oclusivos precisam consultar o médico antes de recorrer ao método", salienta Jomar Souza. ?Os principais efeitos da crioterapia são a diminuição do desconforto (analgesia) e do espasmo muscular. Porém, há precauções que devem ser adotadas nesta terapia, como evitar regiões com grandes nervos superficiais (por exemplo, no lado externo do joelho, junto à cabeça do osso da fíbula) e nas áreas sensíveis, como extremidades de mãos e pés. E, claro, nunca dormir com uma bolsa de gelo junto a qualquer parte do corpo", completa o ortopedista Moisés Cohen


Os exercícios físicos devem ser evitados enquanto a dor se mantiver. VERDADE: a dor é uma das formas que o corpo tem de se comunicar e avisar que alguma coisa não está indo bem. Além disso, ela inibe a ação muscular, o que pode trazer mais prejuízo para o processo. "A volta sempre deve ser gradual. O músculo, após a lesão, fica mais propenso a recidivas", sustenta o fisioterapeuta Maurício Garcia


Não dá para prevenir as dores musculares. MITO: elas podem ser evitadas com um bom condicionamento físico, que englobe as áreas aeróbias e anaeróbias, exercitando a força muscular adequadamente. Manter um bom aquecimento e alongamento da musculatura esquelética também é imprescindível. "Tem que preparar o músculo para o esforço ao qual será submetido. Se a proposta for uma corrida de rua, por exemplo, o foco deverá ser a tolerância do organismo ao esforço; se for jogar futebol, a sugestão é investir em trabalhos de potência que favoreçam uma resposta eficiente. É bom levar em conta, também, que a força não é a única aptidão muscular possível: há a destreza, a resistência, o vigor, a velocidade. 

Sem falar na flexibilidade: um músculo ?elástico? favorece a prevenção de contraturas e estiramentos", diz o fisioterapeuta Maurício Garcia, lembrando que o repouso faz parte de uma boa performance. O médico do esporte Jomar Souza completa sugerindo que treinos pesados sejam sempre  intercalados com outros mais leves, além de períodos de descanso. "Os alongamentos, igualmente, não devem ser esquecidos".


A alimentação influencia no aparecimento de dores musculares. VERDADE: "Dietas que restringem muito o uso de carboidratos, ou não têm uma quantidade adequada de proteínas, podem ser o gatilho para lesões musculares", garante Jomar Souza. Para quem não sabe o que deve priorizar à mesa, vale conversar com um nutricionista. "É possível que a desnutrição tenha uma relação com a incidência de dor muscular. Suplementos não vão prevenir que lesões aconteçam, mas é sempre bom cuidar da alimentação, ingerindo itens ricos em proteínas", conclui o ortopedista e professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Moisés Cohen 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?