segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ÍNDIOS: PRESO MISSIONÁRIO ACUSADO DE ABUSO SEXUAL CONTRA INDÍGENAS

  
Tania Pacheco – Combate Racismo Ambiental
Warren Scott Kennell
Exatamente ontem, quarta-feira, dia 11, estava prevista uma sessão especial da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal (aquela presidida por Marcos Feliciano) sobre a ação das instituições religiosas entre as tribos indígenas. Embora representantes do CIMI e da Funai tivessem sido convidados, a intenção óbvia era abrir espaço para a ação cada vez mais agressiva de instituições evangélicas fundamentalistas junto aos ‘gentios silvícolas’.
Antes que a sessão fosse suspensa e, teoricamente, adiada por não haver clima para sua realização, Felipe Milanez escreveu um ótimo texto publicado ontem em seu blog na Carta Capital e por nós reproduzido: Em defesa das almas indígenas. Nele, Milanez menciona as principais instituições envolvidas na questão e, entre elas, a New Tribes (Novas Tribos), presidida por Edward Luz, filho de um antropólogo do mesmo nome, que a Assossiação Brasileira de Antropologia expulsou há poucos meses.
O artigo de Felipe Milanez vale por si só. Hoje, entretanto, uma nova luz (sem querer fazer trocadilho) foi jogada sobre ele e sobre o cancelamento da reunião, quando Elaíze Farias denunciou, a partir de informações colhidas junto à Polícia Federal do Amazonas, a prisão de um integrante da New TribesMissionário da organização Novas Tribos do Brasil é preso durante operação da PF do Amazonas sob suspeita de molestar meninas indígenas. Segundo as informações obtidas por Elaíze, a prisão teria ocorrido quando o missionário chegava em Orlando, Estados Unidos, em junho.
A partir daí,  foi possível chegar a notícias publicadas nos EUA, principalmente nos saites WFTV.com e MK Forum, de Orlando, ambas do dia 5 de junho de 2013. As informações que seguem são baseadas nelas, apenas rearrumadas a partir de uma tradução livre, no que poderíamos chamar de uma primeira aproximação da questão.
Insisto, entretanto, que é fundamental ler os dois textos linkados acima. E, a partir de amanhã, ver como o Presidente da New Tribes/Novas Tribos, seu filho antropólogo e seus companheiros fundamentalistas, inclusive os que invadiram a CDHM, agirão, não só em relação aos povos indígenas, como no que concerne aos direitos humanos num sentido mais amplo. Fora isso, óbvio!, temos que ver igualmente como as pessoas que têm compromisso com a luta pelos direitos – dos povos indígenas e de outros também – reagirão a tudo isso.
O missionário Warren Scott Kennell, da New Tribes, de 45 anos, foi preso no aeroporto internacional de Orlando quando chegava do Brasil, no dia 4 de junho. De acordo com informações, Kennell começou a ser investigado a partir de uma dica envolvendo troca de pornografia infantil pela internet.
Inicialmente, Kennel tentou negar a acusação, mas os agentes abriram sua mala e nela encontraram um HD com diversas imagens de pornografia com crianças. Segundo os investigadores, Kennell acabou por admitir ser ele o adulto que aparece nelas cometendo abusos contra meninas, mas confessou ter molestado apenas quatro crianças enquanto estava no Brasil (Kennell estava aqui desde 1994, ou seja, há quase 20 anos!). A notícia do WFTV.com diz ainda que em algumas das fotos, ele posa com as meninas à frente do logo da New Tribes.
Um porta-voz da Novas Tribos disse que um comunicado interno foi distribuído sobre a prisão de Kennell, afirmando que “seus corações sofrem pelo fato de crianças terem sido vitimizadas”, e que, enquanto tentam “confirmar se há uma conexão entre os atos pessoais do acusado e a organização”, ele foi afastado.
Kennell está detido na penitenciária do condado de Seminole, mas este não é o primeiro caso deste tipo envolvendo a New Tribes. Segundo a MK Forum,
  • Em 2006, um instrutor, George Goolde, foi acusado de molestar dois meninos;
  • Em 2008, um jovem pastor enfrentou acusações por posse de pornografia infantil;
  • Dois anos mais tarde, a vítima Kari Mikiton denunciou abusos sofridos por parte de funcionários da New Tribes;
  • Em 2011, uma mulher processou a New Tribes, afirmando ter sido estuprada diversas vezes por um funcionário chamado Leslie Emory. Numa entrevista para a WESH 2, Emory confessou também ter cometido abusos contra meninas nas Filipinas, nas décadas de 1980 and 1990.
Ao pé da matéria havia ainda o endereço da página de Kennell na internet ( http://www.aroskot.com/), mas ela está fora do ar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?